terça-feira, 8 de Maio de 2012

Meditação para crianças




Simplicidade e criatividade! Eis como se define a meditação com crianças! As crianças adoram meditar. É algo nato para elas. Como já li algures: “Acredito que meditar é uma coisa que não se ensina, relembra-se”.

Sentem-se mais calmas e felizes após a prática, num ambiente de calma, brincadeira e imaginação. A Meditação é uma “faculdade” natural do ser humano e que cada um de nós tem a sua forma de o fazer. Não há uma forma exacta e correcta, não há uma posição obrigatória, nem o tempo certo de o fazer. As crianças que praticam meditação aprendem e desenvolvem técnicas para relaxar física e emocionalmente, conseguindo lidar melhor com os habituais medos, ansiedades, timidez, agressividade e hiperactividade (que mais não são que energia mal canalizada).

A Meditação é já uma prática habitual em muitas escolas (principalmente na América e na Ásia), e o mundo científico já comprovou os imensos benefícios que esta provoca nos campos da saúde, auto-conhecimento e relacionamento com os outros.

Hoje em dia, torna-se essencial a meditação para as crianças. A vida agitada dos tempos modernos têm no desenvolvimento das crianças, o stress, a ansiedade, a falta de concentração, distúrbios do sono e a agressividade são só alguns dos problemas que cada vez mais os atinge. Todos estes efeitos são consequências daquilo a que as crianças são expostas diariamente: o tempo contado ao segundo, jogos violentos, uso indiscriminado da televisão, trabalhos escolares inexplicáveis, actividades extra-curriculares em demasia, falta de tempo de qualidade com os pais para que se possam conhecer verdadeiramente e criar uma verdadeira e completa envolvência emocional. O que é podemos esperar disto? Agora, imagine que há algo dentro de cada um de nós, que pode ser a cura que procurávamos.

Meditar é isto mesmo: parar o “barulho” da nossa mente e encontrar o nosso “centro” para que possamos direccionar as nossas energias. A meditação para crianças retoma este conhecimento. Exercícios que remetem para o interior da criança, complementados com exercícios de criatividade mostram novas realidades. As meditações são guiadas e tem por base o universo infantil. Os exercícios de criatividade têm utilidade prática uma vez finalizados.

Meditação não significa estar muito quieto, de pernas cruzadas e olhos fechados, significa sim, dar-lhes tempo e espaço para serem criativas, para praticarem a atenção e estarem livres de preocupações, e da ansiedade transmitida diariamente. Este processo pode beneficiar muitos pais no seu envolvimento com as crianças. Na meditação para crianças, elas são convidadas a “passear” com os olhos da alma. Os efeitos a curto prazo são visíveis e comprovados cientificamente: aumento da capacidade de concentração, melhoria no aproveitamento escolar, melhor gestão das emoções, redução dos problemas de saúde, entre outros. A longo prazo o melhor efeito será um adulto equilibrado e com uma inteligência emocional acima da média e por isso mesmo a meditação introduzida logo na primeira infância é uma ferramenta preciosa para descobrirmos a nossa felicidade.

Benefícios da Meditação para Crianças

Benefícios espirituais -

Despertar e fortalecimento do corpo de luz -
Crescimento espiritual -
Abertura de consciência -
Consciência da energia pessoal, a base do Ser -
Noção do poder da aura -
Enraizamento -
Entendimento sobre realidades paralelas

Benefícios concretos -

Auto disciplina -
Auto estima -
Auto afirmação -
Paz interior -
Criatividade -
Sensibilidade musical -
Contacto com o imaginário -
Foco nos momentos de estudo -
Gestão de stress emocional

Resultados práticos -

Maturidade emocional -
Estabilidade na aprendizagem -

Saúde -

Estabilidade no sono -
Redireccionamento das energias hiperativas -
Produção de peças criativas -
Disciplina -
Bons relacionamentos inter-infantis -
Independência -
Assertividade -
Reconhecimento dos parâmetros facilitados pelos adultos pela compreensão

ALGUMAS TÉCNICAS

A Atenção Plena é qualidade natural, semelhante à infância. Quando você está plenamente atento, você está conectado ao seu senso interno de curiosidade, de “querer saber” e de inocência. Neste sentido, as crianças são naturalmente plenamente atentas. Infelizmente, graças ao excessivo uso da tecnologia moderna e aos altos níveis de medo e estresse, precisamos ensinar a elas formas diferentes de lidar com as várias pressões a que são submetidos.

Aqui estão alguns pontos para você lembrar quando estiver ensinando a “atenção plena” para as crianças;

- Seja leve ao invés de sério. Se você puder transformar as práticas de “atenção plena”em um jogo, você tem mais chance de sucesso ao encorajar seus filhos a tentarem a prática

- Faça práticas curtas – crianças não conseguem manter o foco por tempos longos como os adultos; portanto, alguns minutos são suficientes

- Evite pressioná-los – se você forçar seus filhos a serem atentos, a liberdade e alegria da prática se perderão e o exercício deixará de ser de “atenção plena”

- Seja paciente – provavelmente você não terá êxito todas as vezes que tentar ensinar estas práticas aos seus filhos. Experimente técnicas diferentes e veja quais funcionam.

Existem vários pequenos exercícios de “atenção plena”que você pode fazer com seus filhos. Por exemplo, se a criança é bem pequena, você pode pedir que ela se deite e coloque um ursinho de pelúcia na sua barriga. Então peça a ela que preste atenção em como o ursinho sobe e desce conforme ela inspira e expira. Pergunte a ela se pode fazer com que o ursinho se mova mais devagar. Ao final, pergunte como ela se sente depois de “meditar com o ursinho” comparando com como se sentia antes da meditação.

. Use imagens mentais Faça com que a sua criança imagine que é molinha como uma boneca de trapos, com cada parte do seu corpo (braços, pernas, cabeça…) a sentir-se cada vez mais como gelatina. Ou então peça-lhe que imagine as ondas numa piscina ou no mar. Peça-lhe que permita que o seu corpo sinta a água suave nos seus braços e pernas e, por fim, passar através destes. Talvez possam gostar duma visita amigável de um golfinho, uma estrelinha do mar ou alguns peixes tropicais coloridos. Peça-lhe que imagine uma conversa em que as criaturas usam palavras relaxantes e talvez até lhe tragam uma mensagem especial. Deixe que a criança escolha a cor da água, da areia e dos peixes. A imaginação, não a realidade, é a chave nesta situação.

Existem muitos lugares diferentes para onde os seus pensamentos a podem levar (talvez ao parque ou ao seu passeio favorito). Por vezes, pode querer falar antes e ver onde a sua criança quer ir mentalmente, outras vezes pode deixar à vontade dela. Se a ideia da sua criança é imaginar uma caça ao tesouro ou uma festa de aniversário, também pode ser. Os pensamentos podem ser aventureiros e empolgantes, não têm de ser sempre algo calmo. A intenção é apenas fazer com que ela crie um espaço seguro de ambiente alegre onde possa se refugiar.

2. Use afirmações positivas Você e a sua criança podem fazer uma lista de pensamentos e frases positivas que ela possa repetir para si própria quando em meditação. Outra opção é gravar um de vocês a dizer estas frases para ela poder ouvir durante um período de relaxamento. Deixar que a sua criança apenas ouça estas frases positivas pode ser muito reconfortante e motivador.
http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=sIk9Pw8YV_A#!

Vejam esse video!

Do site TELEPATAS MAGIA E SONHOS LUCIDOS

Sem comentários:

Enviar um comentário