terça-feira, 20 de julho de 2010

Glândula Timo - Pineal - Pituitária (Exercícios)

Glândula Timo - Pineal - Pituitária (Exercícios)... Referidas na Mensagem de Sananda - 16/07/2010!!!


A Glândula Timo
A GLÂNDULA TIMO
Do grego, Thymus, significa energia vital. O timo situa-se na porção superior do mediastino anterior. Limita-se, superiormente, com a traquéia, a veia jugular interna e a artéria carótida comum.
Lateralmente, com os pulmões, e inferior e posteriormente com o coração.
Sua cor é variável.
Vermelha no feto, branco-acinzentada nos primeiros anos de vida e, depois, amarelada.
O timo, plenamente desenvolvido, é de formato piramidal, encapsulado e formado por dois lobos fundidos.Por ocasião do nascimento pesa de 10 a 35g e continua crescendo de tamanho até a puberdade, 15 anos, quando alcança um peso máximo de 20 a 50g.
Daí por diante sofre atrofia progressiva e passa a pesar pouco mais de 5 a 15g no idoso.
O ritmo de crescimento tímico na criança e de involução no adulto é extremamente variável e, portanto, difícil determinar o peso apropriado para a idade.
Contudo, o timo continua a exercer sua função protetora, com a produção complementar de anticorpos, mesmo que nesse período seu desempenho já não seja vital, pois há uma compensação pela proteção imunológica conferida pelo baço e nodos linfáticos, ainda imaturos nos recém-nascidos.
MENTE X SISTEMA IMUNOLÓGICO
Os linfócitos T e B têm receptores na superfície de suas células que podem acionar, dirigir e modificar suas funções imunológicas.
Esses receptores são a base molecular da influência da mente nos linfócitos.
Os receptores são como fechaduras que podem ser abertas para acionaras atividades de cada célula.
As chaves que abrem essas fechaduras são as moléculas mensageiras da mente-corpo: os neurotransmissores do sistema-nervoso autônomo, oshormônios do sistema endócrino e os imunotransmissores do sistema imunológico.
A TIMOSINA
A timosina pode servir como imunotransmissor, modulando os eixos hipotalâmicos hipofisário-suprarrenal e das gônadas.
O sistema nervoso seria capaz de alterar o curso da imunidade via caminhos autônomo e neuroendócrino.Alguns trabalhos concluem que os humanos podem treinar a si mesmos para facilitar seus processos de cura interna mente-corpo.
ESTRESSE E DIMINUIÇÃO DA VIGILÂNCIA IMUNOLÓGICA DO ORGANISMO
Qualquer forma de estresse resultante de uma significativa mudança de vida (ex: a morte de um membro da família, mudança de emprego, mudança de família, etc.) pode ativar o eixo cortical-hipotalâmico-suprarrenal para produzir os corticoesteróides que suprimem o sistemade vigilância imunológica (lembrando que os corticóides atuam no núcleo das células retardando a multiplicação celular e isso impede a expansão clonal leucocitária).Em resposta à mudança estressante de vida observa-se uma diminuição na atividade das células NK (Natural Killer), exterminadoras naturais.
A boa habilidade em lidar com desafios (poucos sintomas diante de um considerável estresse) está associada com uma alta atividade celular NK exterminadora natural.
EXERCÍCIOS ESPECÍFICOS PARA O TIMO
EXERCÍCIO 1 [Estimulação do Timo]
♦ Fazer pequenas “batidinhas’ com a polpa dos dedos no esterno (localizado aproximadamente a 2 dedos abaixo da clavícula).
Faça estas “batidinhas” ao redor desta região, explorando e sentindo estas vibrações.
Sinta o aquecimento produzido nesta região.
EXERCÍCIO 2 [Abraçar o ombro]
♦ Em pé, tronco ereto, com o braço direito “abrace” o ombro esquerdo [ver fig.].
♦ Coloque a mão um pouco abaixo do ombro esquerdo e vá “caminhando” com os dedos em direção à escápula esquerda o máximo que puder.
Faça o mesmo com o braço esquerdo.
Sinta a presença do Timo.
EXERCÍCIO 3 [Contraindo e expandindo o Timo]
♦ De pé, braços soltos ao longo do corpo, volte as palmas das mãos para fora e girando os braços, una o dorso das mãos em frente ao abdômen e expire todo o ar dos pulmões.
♦ A seguir, desfaça a posição e abrindo os braços leve-os para trás, abrindo o peito e inspirando. Abra os braços até que as palmas das mãos se encontrem atrás [nas costas], e se unam na altura do osso sacro.
Faça algumas vezes este movimento.
EXERCÍCIO 4 [Mãos na nuca e cotovelos abertos]
♦ Erga os braços e coloque as mãos entrelaçadas sobre a nuca, os cotovelos abertos. Abra o peito inspirando e levando os cotovelos para trás, sem tirar as mãos da nuca.
♦ Sinta a expansão produzida por este movimento simples, permita-se saborear a sensação de espaço, liberdade, desobstrução.
♦ Ao expirar, junte os cotovelos à frente suavemente. Coloque sua atenção no timo. Faça algumas vezes. Quando perceber que alguém próximo a você se encontra acabrunhado, comprimido por problemas, aconselhe este movimento.
FINALIZAÇÃO [Garras de urso e movimento da gangorra]
♦ Enganche suas mãos [como garras de urso] em frente ao peito. Abra bem os braços deixando-os paralelos ao peito.
♦ Inicie um movimento com os cotovelos, levando um em direção ao “Céu” (pra cima) e outro em direção à “Terra” (pra baixo). Eleve primeiro o cotovelo direito (o esquerdo desce em direção à Terra), depois suba o esquerdo (lembra uma gangorra) e o direito desce em direção à Terra.
♦ Faça com os músculos das costas relaxados, não aplique força. Não permita nenhuma tensão muscular.Estimule o timo o máximo que puder, faça amizade com esta glândula. Ela produz alegria e dependemos dela para equilibrar o sistema imunológico.
===========================================================
A Glândula Pineal ou Epífise

===========================================================
A Glândula Pineal ou Epífise
A GLÂNDULA PINEAL [CASA DO ESPÍRITO]
Também chamada de corpo pineal ou epífise, é uma glândula cônica e achatada, localizada acima do teto do diencéfalo, ao qual se une por um pedúnculo.
No homem adulto, mede aproximadamente 5 por 8 mm.
A glândula pineal fica localizada no centro do cérebro, sendo conectada com os olhos através de nervos.As pesquisas recentes sobre as funções da glândula pineal e de seu principal produto, o hormônio melatonina, despertaram um grande interesse público nesta última década em função da descoberta do papel da melatonina na regulação do sono e do ritmo biológico [ritmocircadiano] em humanos.
A MELATONINA E O RITMO CIRCADIANO
A melatonina é uma substância natural semelhante a um hormônio e é produzida na glândula pineal. A produção de melatonina pela glândula pineal é cíclica, obedecendo um ritmo diário de luz e escuridão, chamado ritmo circadiano.
Nos seres humanos, a produção de melatonina ocorre durante a noite, com quantidades máximas entre 2 e 3 horas da manhã, e mínimas ao amanhecer do dia.Tanto a luz como a escuridão transmitem o sinal dos olhos para a glândula pineal, determinando a hora de iniciar e parar a síntese da melatonina.
A produção noturna de melatonina levou à rápida descoberta do seu papel como indutor do sono em humanos, e como restauradora dos distúrbios decorrentes de mudanças de fusohorário (jet-lag), no início dos anos 90.
A MELATONINA E A REGULAÇÃO DO SONO
Além da regulação do sono, a melatonina controla o ritmo de vários outros processos fisiológicos durante a noite: a digestão torna-se mais lenta, a temperatura corporal cai, o ritmo cardíaco e a pressão sangüínea diminuem e o sistema imunológico é estimulado.
Costuma-se dizer, por isso, que a melatonina é a molécula chave que controla o relógio biológico dos animais e humanos.Do ponto de vista experimental, a melatonina modifica a imunidade, a resposta ao estresse e algumas características do processo de envelhecimento. No contexto clínico, tem sido utilizada nos distúrbios do ritmo biológico, alterações relacionadas ao sono e o câncer.
Ela possui vários e significativos efeitos biológicos.
A MELATONINA E SEUS EFEITOS NO EQUILÍBRIO DO ORGANISMO
Os pesquisadores estudaram os efeitos anti-câncer da melatonina, que parece funcionar em conjunto com a vitamina B6 e o Zinco, opondo-se à degradação do sistema imunológico proporcionada pelo envelhecimento.A melatonina também pareceu promissora no tratamento de problemas femininos, como a osteoporose, a síndrome pré-menstrual, e até mesmo o controle da natalidade.
Por se tratar de um dos principais hormônios anti-estresse, participa ainda das funções adaptativas e estimulantes.Portanto, a melatonina estabiliza e sincroniza a atividade elétrica do sistema nervoso central.Muitos defendem que a pineal, atuando não apenas através da melatonina, é uma “estrutura tranqüilizadora que suporta o equilíbrio do organismo”, agindo como um órgão sincronizador, estabilizador e moderador.
Isso sugere que a melatonina pode ter muitas aplicações em condições onde é importante estabilizar e harmonizar a atividade cerebral.Um dado importante é o fato de que a glândula pineal afeta diretamente as outras glândulas por meio de suas secreções. (Arendt J.,1995. In Melatonin and the Mammalian Pineal Gland, Chapman & Hall, London, pp. 4.)
A MELATONINA E SEU PAPEL NA REPRODUÇÃO
Foram caracterizados sítios de ligação para melatonina nas gônadas [glândulas sexuais], no epidídimo, no ducto deferente e na glândula mamária, sugerindo vários locais de ação.O papel da melatonina no desenvolvimento sexual e na reprodução humana ainda está sendo investigado. Em mulheres, foi demonstrado que as concentrações de melatonina e de progesterona variam com as estações do ano, e que há uma correlação negativa entre melatonina e a produção de estrógeno.
A melatonina em humanos possui importante ação antigonadotrófica, visto que inibe a produção de hormônio liberador do hormônio de crescimento (GnRH), que é essencial para o desenvolvimento das gônadas na fase de puberdade. (Vanecek, 1998).
A MELATONINA E O MAL DE ALZHEIMER
Diagnosticado por Alois Alzheimer em 1906, o mal de Alzheimer é uma doença degenerativa que destrói as células do cérebro, lenta e progressivamente, afetando o funcionamento mental (pensamento, fala, memória, etc.).
Com o avanço da moléstia, o paciente começa a perder hábitos, como o da higiene pessoal, e a manifestar alterações de comportamento, como ansiedade, agressividade, etc.
Caracterizado como uma forma de demência, o mal de Alzheimer atinge cerca de 1% da população na faixa dos 65 anos de idade.
Seu primeiro sintoma é, via de regra, a perda da memória recente, sendo indicado, neste caso, consultar um médico neurologista.Em pacientes com Alzheimer, os receptores no hipocampo, responsáveis pelo controle da tensão vascular, tem seu número significativamente aumentado em relação a pessoas normais da mesma idade, provavelmente devido a uma "up regulation" em resposta à diminuição da melatonina circulante.
O pico noturno de melatonina não ocorre, ou é muito reduzido em idosos normais. A melatonina apresenta uma redução na formação da proteína B amilóide que é a responsável pelo mal, tendo, portanto, um efeito que permitiria supor uma ação anti-Alzheimer.
A MELATONINA E A MEMÓRIA
A melatonina também tem um efeito sobre a retenção de memória, tendo sido efetiva na reversão da perda de memória em animais velhos e em modelos de Alzheimer.
A PINEAL E O CEREBELO
Na parte posterior do crânio está localizado o cerebelo, cuja função é a manutenção do equilíbrio, tônus muscular e da postura, bem como da coordenação dos movimentos.Se houver qualquer tensão ou lesão no cerebelo, esta repercutirá no funcionamento da pineal e suas preciosas secreções serão prejudicadas. O cerebelo é comparado a um computador muito elaborado.
Ele não somente recebe impulsos proprioceptivos, os quais informam sobre a posição de nosso corpo ou de suas partes, como também chegam impulsos visuais, táteis e auditivos que podem ser utilizados pelo cerebelo.Não se sabe exatamente como ele executa esta tarefa.
O ALIMENTO DO SISTEMA NERVOSO CENTRAL
O sistema nervoso central é um todo, sua divisão em partes é exclusivamente didática. Essa divisão, em relação a um critério anatômico, reconhece que ele se localiza dentro do esqueleto axial, isto é, cavidade craniana e canal vertebral. O encéfalo é a parte do sistema nervoso central situado dentro do crânio neural.
A medula se localiza dentro do canal vertebral.Encéfalo e medula constituem o neuro-eixo.No encéfalo, temos o cérebro, o cerebelo e o tronco encefálico.
No homem, a relação entre tronco encefálico e o cérebro pode ser grosseiramente comparada à que existe entre o tronco e a copa de uma árvore.O sistema nervoso é formado por estruturas nobres e altamente especializadas, que exigem para seu metabolismo um suprimento permanente e elevado de glicose e oxigênio.
Assim, o consumo de oxigênio e glicose pelo encéfalo é muito elevado e requer um fluxo circulante intenso. Quedas na concentração desses elementos ou a suspensão do afluxo sanguíneo ao encéfalo não são toleradas além de um período muito curto.
A parada da circulação cerebral por mais de 7 segundos leva o indivíduo à perda da consciência. Após cerca de 5 minutos começam a aparecer lesões que são irreversíveis.Contudo, áreas diferentes do sistema nervoso central são lesadas em tempos diferentes, sendo as áreas filogeneticamente mais recentes as que primeiro se alteram.
A área lesada que resiste por mais tempo é o centro respiratório situado no bulbo.Os processos patológicos que acometem os vasos cerebrais tais como tromboses, embolias e hemorragias ocorrem com uma freqüência cada vez maior com o aumento da vida média do homem moderno. Cumpre lembrar que no sistema nervoso central, ao que parece, não existe circulação linfática, por outro lado, existe circulação liquórica.
EXERCÍCIOS ESPECÍFICOS PARA A GLÂNDULA PINEAL
É indicado ao praticante fazer estes exercícios sentado e com os olhos fechados.
Observe a localização da glândula pineal no topo do crânio [figura 1].
Faça os exercícios procurando sentir a localização da pineal.
Coloque também sua atenção na respiração, lembrando do alimento necessário ao Sistema Nervoso Central.
EXERCÍCIO 1 [Massagear o alto do crânio]
♦ Faça um movimento circular com a polpa dos dedos das duas mãos sobre o couro cabeludo, no alto da caixa craniana. I
nvestigue vagarosamente até encontrar uma reentrância.
Sinta-a com os dedos. Esse ponto corresponde à “moleira” dos recém-nascidos.
♦ Massageie esse ponto usando os dedos indicador e médio.
Procure perceber qual o sentido mais confortável [sentido horário ou anti-horário].
♦ Massageie lentamente o ponto sem provocar atrito com a pele.
Perceba que o couro cabeludo, muito colado no início, se desprende melhor depois de um certo tempo.
♦ Faça essa massagem sem pressa, no seu ritmo e no seu tempo.
É importante salientar que este ponto é o local de união de todos os meridianos.
A prática é ótima antes de dormir, pois a glândula pineal é a rainha do sono profundo.
EXERCÍCIO 2 [Massagear para frente e para trás o couro cabeludo com os dedos]
♦ Outra forma indicada e confortável é puxar o couro cabeludo para frente e para trás sempre a partir desse ponto [no alto da caixa craniana].
EXERCÍCIO 3 [Tamborilar o alto do crânio com os dedos]
♦ A seguir você vai “tamborilar” com os dedos médios o ponto no alto da caixa craniana, onde se localiza a glândula pineal.
A ação do toque deve ser amorosa, não use força.
♦ Perceba o que está sentindo.
Você poderá sentir calor, salivação, enjôo, um mental tranqüilo.
EXERCÍCIO 4 [Massagear a fronte na linha do início do couro cabeludo e a “coroinha”]
♦ Coloque o dedo médio e indicador da mão direita na fronte, precisamente no início do couro cabeludo, alinhados com o nariz.
Massageie este ponto com os dois dedos.
Escolha a direção que for mais confortável e agradável.
♦ Faça as massagens nos pontos cranianos sempre vagarosamente e observando seu próprio ritmo e tempo.
♦ Continue massageando esse ponto e com os dedos da outra mão encontre uma reentrância na parte posterior do crânio (um pouco mais atrás do topo da cabeça), acima do cerebelo.
Esta reentrância ou depressão corresponde ao lugar chamado de “coroinha”.
Os religiosos costumam marcar bem essa região, usualmente rasurando os cabelos num formato circular.
♦ Coloque o dedo médio e indicador sobre esse ponto e massageie no sentido que achar mais confortável.
Perceba as sensações (dor, calor, lágrimas, relaxamento nos nervos oculares, sensação de estímulo da tiróide, sensação do palato, sensação de sair do tempo].
FINALIZAÇÃO [Irradiando calor com as mãos]
♦ Em seguida, aqueça as mãos friccionando-as e colocando-as no topo da cabeça.
Deixe que as mãos escolham qual deve ficar em cima e qual deve ficar embaixo.
♦ Perceba o calor que a fricção das mãos provoca.
Sinta o calor irradiando para a pineal e a resposta receptiva dessa glândula ao calor.
Faça contato com a glândula pineal, enviando-lhe afeto, reconhecendo todo o complexo trabalho que faz no seu organismo.
Reconheça sua importância no equilíbrio geral do organismo e no retardamento do envelhecimento.
Ao fazer isto, a glândula recebe calor e magnetismo.
OBSERVAÇÕES
As tradições respeitavam a glândula pineal e a consideravam alinhada ao mais elevado centro espiritual.
Os hindus entendiam que dentro do Lótus de Mil Folhas ou Chakra da Coroa, encontrava-se o verdadeiro centro do coração.

Na tradição judaica usa-se até hoje o kipá [usado no topo da cabeça].
É usado para lembrar o usuário de sua reverência diante de Deus.
Na mitologia grega, Hermes [Mercúrio] era representado com um capacete alado, símbolo de invulnerabilidade e de potência.
Hades [Plutão] possuía um barrete que adornava sua cabeça e o tornava invisível.
Os católicos representam os santos com auréolas ou halos dourados. Desta forma, a “coroa” no alto da cabeça tem um significado que não poderíamos omitir.
Sua forma circular indica a participação da natureza celeste, um “Dom” vindo de cima, um poder, o acesso a um nível e a forças superiores.
===========================================================
A Glândula Hipófise ou Pituitária
A GLÂNDULA HIPÓFISE OU PITUITÁRIA [OU CASA DA INTELIGÊNCIA]
A hipófise, também chamada de glândula “mestra” do organismo, é um órgão pequeno, tendo no homem o volume de uma pequena noz, pesando por volta de 0,6g. Situa-se no interior da caixa craniana, numa depressão óssea chamada sela túrcica. Ela coordena o funcionamento das demais glândulas, porém não é independente, obedece a estímulos do hipotálamo.
A hipófise é formada de três partes: A hipófise anterior ou adeno-hipófise, hipófise intermediaria e hipófise posterior.A atividade das células hipofisárias e a emissão de seus hormônios no sangue estão sob o controle de centros nervosos situados na base do cérebro, na região denominada hipotálamo. As relações entre as duas estruturas se faz por intermédio de substâncias químicas: os fatores de liberação, ou “releasing factors”, secretados por alongamentos de células especializadas do hipotálamo.
Dos sete hormônios produzidos pela adeno-hipófise, quatro exercem sua ação por intermédio de uma outra glândula endócrina.
A ADENO-HIPÓFISE OU HIPÓFISE ANTERIOR
A adeno-hipófise produz hormônios essenciais ao crescimento, ao metabolismo geral e à reprodução,garantindo a sobrevivência da espécie. Ela produz pelo menos seis hormônios.
Três deles, as gonadotrofinas, são sexuais.
OS HORMÔNIOS SEXUAIS - AS GONADOTROFINAS
Estas substâncias estimulam as gônadas [testículos e ovários] a produzirem células reprodutoras.
O HORMÔNIO TIREOTRÓFICO
O hormônio tireotrófico [TSH] estimula a glândula tireóide e participa no metabolismo orgânico, no aproveitamento da água, do iodo, do cálcio, do fósforo, dos açúcares, das gorduras, das proteínas e das vitaminas.
O HORMÔNIO ADRENOCORTICOTRÓFICO
O hormônio adrenocorticotrófico [ACTH] é o ativador da parte externa da glândula supra-renal, vital no controle da água, sais e outros elementos.
O HORMÔNIO SOMATOTRÓFICO
O sexto hormônio, o somatotrófico, ou hormônio do crescimento,estimula o crescimento de todos os tecidos do corpo e também tem grande importância no aparecimento do diabetes.
A HIPÓFISE INTERMEDIÁRIA E O HORMÔNIO MELANOTRÓFICO
A parte intermediária da hipófise secreta o hormônio melanotrófico ou melatrofina que em peixes e anfíbios induz à dispersão dos grânulos de melanina dos melanócitos, levando ao escurecimento da pele.
Esse processo é de fundamental importância para a proteção desses animais diante da ação dos predadores.
A HIPÓFISE POSTERIOR E A VASOPRESSINA, O HORMÔNIO ANTIDIURÉTICO E A OXITOCINA
A hipófise posterior ou neuro-hipófise, localiza-se no lobo posterior, sendo constituída por fibras nervosas desprovidas de mielina (desmielinizadas) e por células da neurologia.
Os hormônios neuro-hipofisários são: a vasopressina ou hormônioantidiurético (ADH), ambos produzidos no hipotálamo e armazenados no lobo posterior da hipófise, que controla o equilíbrio hídrico do organismo.
A oxitocina age na musculatura lisa da parede do útero, facilitando a expulsão do feto e da placenta.Uma característica peculiar da neuro-hipófise é a sua circulação, curiosamente feita quase que totalmente de sangue venoso, isto é, carregado de gás carbônico e com baixas taxas de oxigênio.
As secreções da “glândula mestra” obedecem a um conjunto de estímulos de ordem hormonal e nervosa. Assim, pode-se concluir que exista uma relação direta entre estado psíquico e hormônios.
CENTROS DE REGULAÇÃO DO COMPORTAMENTO E DA EMOÇÃO
Durante muito tempo acreditou-se que a regulação do comportamento e em especial o comportamento emocional estaria na dependência de todo o cérebro. Coube principalmente a Hess, demonstrar a existência de centros de regulação do comportamento.
Sabe-se que as áreas relacionadas com o comportamento emocionalocupam territórios bastante grandes.Por exemplo, no tronco encefálico estão localizados vários núcleos de nervos cranianos, viscerais e somáticos.
Ativando-se essas estruturas ocorrem estados emocionais, resultando diversas manifestações como: o choro, alterações fisionômicas,
sudorese, salivação, aumento do ritmo cardíaco.Além de sua participação nos fenômenos emocionais, estas áreas relacionam-se também com comportamentos ligados às necessidades básicas do organismo tais como a sede, a fome e o sexo, importantes para a preservação do indivíduo e da espécie.
O fato de que as áreas encefálicas que regulam o comportamento emocional também regulam o sistema nervoso autônomo torna-se mais significativo se considerarmos que as emoções se expressam através de manifestações viscerais [choro, aumento de salivação, eriçar de pelos em um gato com raiva] e são acompanhadas de alterações da pressão arterial, do ritmo cardíaco e respiratório.
Torna-se claro também que muitos distúrbios emocionais graves resultam de afecções viscerais, sendo um exemplo clássico o caso das úlceras gástricas e duodenais.
OBSERVAÇÕES
A hipófise é muitas vezes marcada nas tradições como o “Terceiro Olho”.Inúmeras obras de arte sacra e crenças místicas indígenas representam essa marca entre as sobrancelhas, na testa, assim como todas as religiões reconhecem sua importância espiritual.
Esta nobre glândula governa também a memória, a sabedoria, a inteligência e o pensamento.
Ela ainda regula a produção de hormônios de outras glândulas, como atireóide.
EXERCÍCIOS ESPECÍFICOS PARA A GLÂNDULA HIPÓFISE OU PITUITÁRIA
De preferência, faça esta série de exercícios sentado e com os olhos fechados.
EXERCÍCIO 1 [Ressoar o Tambor Celeste]
♦ Una os dedos médio e indicador [ver fig.], colocando o dedo médio em cima do indicador.
♦ Com os dedos unidos, coloque as palmas das mãos em forma de concha no ouvido [ver fig.].
♦ A seguir, desloque o dedo médio pressionando-o sobre o dedo indicador até que se separem.
Através do impulso, o dedo médio “baterá” na depressão, na base do crânio.
Isto provoca uma ressonância, uma vibração, que vai atingir a hipófise.
Coloque sua atenção na sensação produzida e também no som que ressoa na caixa craniana.
O som produzido é o “OM” primordial [AUM].
Essa vibração monossilábica é o som primordial inaudível, o som criador, a imagem do Verbo a partir do qual se desenvolve a manifestação.
EXERCÍCIO 2 [Tamborilar com os dedos a região entre as sobrancelhas e fazer movimentos circulares]
♦ Coloque os dedos médio e indicador das duas mãos na região entre assobrancelhas e os olhos.
Com a polpa dos dedos dê suaves “batidinhas”, como se tamborilasse a região.
♦ Em seguida, faça uma massagem com movimentos circulares entre as sobrancelhas e na nuca [com os dedos médio e indicador].
Coloque os dedos na região entre as sobrancelhas e com a outra mão toque o ponto abaixo do crânio, na nuca, onde há uma depressão oureentrância [ver fig.].
♦ Comece a massagear simultaneamente os dois pontos, no sentido que lhe aprouver.
Faça como achar mais confortável.
Quando sentir que deve parar, passe para o outro exercício.
EXERCÍCIO 3 [Aquecer a região das têmporas]
♦ Friccione as mãos e coloque-as sobre as têmporas.
♦ Massageie as têmporas fazendo pequenos círculos.
EXERCÍCIO 4 [Tamborilar a região acima das orelhas]
♦ Coloque os dedos das duas mãos na região acima das orelhas.
Com a polpa dos dedos dê suaves “batidinhas”, como se tamborilasse a região.
EXERCÍCIO 5 [Movimento em cruz sobre o osso do nariz e acima das sobrancelhas]
♦ Coloque os dedos médio e indicador de ambas as mãos sobre o início do nariz, na altura dos olhos, e suba até o meio da testa, desenhando uma reta.
♦ A seguir, mova-os (sem tirá-los do rosto) e percorra horizontalmente aregião das sobrancelhas, vá até o final delas.
♦ Volte os dedos para o nariz e suba até a testa novamente e depois para as sobrancelhas.
Repita este movimento em forma de cruz algumas vezes.
EXERCÍCIO 6 [Aquecer a região entre as sobrancelhas e a base do crânio]
♦ Aqueça as mãos friccionando a parte mais próxima dos punhos.
Coloque uma mão sobre a região do “terceiro olho” e a outra na base do crânio.
♦ Repita, aquecendo novamente as mãos e fazendo o mesmo gesto.
♦ Faça 3 vezes.
EXERCÍCIO 7 [Aquecer o pavilhão dos ouvidos]
♦ Friccione as palmas das mãos até aquecê-las bem, a seguir coloque-as sobre as orelhas.
Sinta o calor invadindo a parte interna dos ouvidos e adjacências.
EXERCÍCIO 8 [Aquecer as cavidades oculares]
♦ Aqueça as mãos novamente e coloque-as sobre os olhos.
Você pode permanecer de olhos abertos.
♦ Faça 8 vezes.
Este exercício beneficia a visão e relaxa os músculos oculares.
A repetição diária permitirá que as situações da vida se tornem mais claras, que as soluções cheguem de maneira mais rápida e com inteligência lúcida.
Restabelecerá a paz interior e a qualidade do sono se tornará melhor.
Este exercício tem um efeito imediato, pois os olhos fazem parte do cérebro.
Ao fazer contato com as células cerebrais, os nervos ópticos serão privilegiados com um profundo relaxamento.
Lembramos que estes órgãos maravilhosos são muito exigidos e forçados a trabalhar sem descanso.
Faça este gesto várias vezes ao dia sempre que sentir a vista cansada ou a cabeça atordoada
pelas exigências da vida.
===========================================================

1 comentário:

  1. Namaste amada Fernanda, eu ja tinha lido sobre a glândula Pineal, mas este texto é muito mais completo, muito bom mesmo amiga!!!
    Que venham mais como este!!!

    An´Anasha

    ResponderEliminar